Como escolher a melhor estratégia de renda com opções

Como escolher a melhor estratégia de renda com opções

Existem centenas de estratégias que podem ser executadas com opções e que podem explorar diferentes tipos de cenários e em diferentes tempos. Então, escolher a estratégia mais rentável dentre tantas alternativas pode se tornar um verdadeiro desafio.

Guia Do Iniciante em Opções

Como sair do zero e dar seus primeiros passos no mercado de opções

Neste artigo, vou te contar o meu segredo para resolver o mistério. Trata-se de 3 passos simples, mas que podem fazer a diferença em seus resultados.

Veja só:

Quando comecei a estudar estratégia de renda com opções, costumava montar apenas as mais clássicas do mercado: os lançamentos coberto e sintético.

Se pegar o histórico, ambas as estratégias mostram uma rentabilidade muito boa. No entanto, depois de entender melhor as opções, percebi que podíamos pegar movimentações e definições de cenário para montar estratégias ainda mais certeiras e que podiam entregar um risco-retorno muito melhor.

Para isso, me baseei em três principais passos:

  • Selecionar os ativos com maior volatilidade implícita
  • Identificar o cenário do ativo
  • Escolher estratégia de renda mais favorável

Selecionar os ativos

No primeiro pilar, precisamos escolher qual o ativo que pode nos trazer a melhor rentabilidade. Se tratando de opções, isso está diretamente relacionado com a volatilidade implícita (IV).

A IV mede o que o mercado está esperando para o ativo, e esse número pode ser encontrado facilmente nas plataformas de negociação de opções. Quanto maior for a volatilidade implícita, maior será a taxa recebida pela montagem da operação.

Porém, existe um ponto de atenção: só faça a seleção dos ativos com a maior volatilidade implícita se o respectivo ativo-objeto estiver na sua lista de boas empresas por bons preços. Ou seja, aquelas empresas que você aceitaria ter em seu portfólio, e que estiverem negociando a um preço que você aceita pagar.

Se pular essa etapa, pode ficar preso com uma bomba na carteira, logo, estaria mais suscetível a ter prejuízos muito fortes.

Para escolher uma boa ação, podemos olhar para alguns indicadores financeiros que nos indicam a saúde do ativo: ROE, lucro líquido, margem líquida, CAGR e outros.

Com isso definido, passamos para o segundo passo.

Identificar o cenário

Com o ativo definido, precisamos olhar para o momento dele no mercado e o que os investidores estão pensando sobre ele.

É claro que seria impossível sair por aí perguntando para todos os investidores da bolsa, mas existem alguns pontos que podemos olhar que podem nos dar um norte.

Recomendado para você

Como multiplicar seus dividendos por 4x ou mais, gastando menos que 5 minutos por mês

✅ Mesmo que suas ações não estejam pagando dividendos

✅ Mesmo com suas ações caindo

✅ Mesmo que tenha pouco dinheiro para começar

Quero Saber Mais

Os dados de cotação do ativo, a volatilidade e o retorno médio esperado para ele no período de vencimento, e o desvio padrão da sua opção são ótimos parâmetros para se ter em mente.

Com eles, conseguimos ver a porcentagem de chance de o ativo ficar em determinada faixa de preço e entender a tendência do mercado. Assim, é possível escolher a estratégia que mais faz sentido com o esperado comportamento do ativo. 

Dessa forma, temos menos chances de errar. Perceba, no entanto, que falei de chances, porque em qualquer investimento existem riscos e não há como os extinguirmos 100%, apenas mitigá-los.

Escolhendo a estratégia

Agora que já tem tudo definido, vem a parte fácil: escolher a estratégia de renda com opções que mais fizer sentido com o comportamento esperado do ativo.

Se em sua análise, você perceber que o ativo está subindo e tem baixa probabilidade de ficar naquela faixa de preço, poderá montar uma estratégia de renda que explora a tendência de queda, como a trava de baixa.

Ou o contrário: se o ativo estiver muito barato, e com baixa probabilidade de se manter naquela faixa, é provável que o mercado venha com uma movimentação de alta, como a trava de alta.

Isso tudo baseado em estatística e matemática, não em achismo.

Como Gerar Renda Semanal em Dólar

Condição especial de lançamento do Opções e Oportunidades USA

Já em um cenário de lateralização – isto é, se o ativo estiver mais travado, mais neutro – podemos montar estratégias como o Jade Lizard, o Iron Condor ou o short strangle.

No entanto, independentemente do cenário, você pode executar o lançamento sintético ou coberto. Para avaliar quando vale mais a pena executar uma estratégia mais simples, como essas, ou mais elaborada, eu sigo sempre a seguinte dica:

Se o ativo é bom e está em um bom preço, e eu não tenho problemas em assumir a compra do ativo ou vendê-lo (se eu possuí-lo na carteira e a um preço maior do que comprei), posso fazer a venda de PUT, ou de CALL, e não trabalhar com esse processo de escolher uma estratégia de renda com opções para um determinado cenário.

Esse artigo foi útil?

O tema também foi tratado em uma de nossas lives semanais no canal do YouTube:

Para não perder as próximas, se inscreva no canal.

Aulas sobre o Mercado de Opções

Como fazer análise dos gráficos para operar opções

Nesta aula gratuita vou te explicar analisar gráficos para operar opções e como funciona o comportamento…

Como multiplicar os dividendos das suas ações

Vou te ensinar como utilizar o mercado de opções para multiplicar os dividendos das suas ações

Como usar estatística para operar opções

Tenha alta taxa de acerto com ganhos expressivos. Nesta aula você vai entender como usar estatística…

Você pode se interessar

B3SA3: Essa ação pode subir 186%

Hoje eu quero trazer para você a análise quantitativa de um ativo que acompanhamos bastante aqui…

Renda Fixa: como utilizar para fazer venda de PUT?

Você sabia que é possível utilizar seus títulos de renda fixa para potencializar os seus ganhos…

Como usar as opções para potencializar sua carteira

Eu trabalho no mercado financeiro há 15 anos já, sendo 12 deles com o mercado de…