Como proteger os seus investimentos em ações com opções

Como proteger os seus investimentos em ações com opções

Um dos assuntos que mais gera dúvida nos investidores é quais são as melhores formas de proteger sua carteira de investimentos em movimentações de queda do mercado. Pensando nisso, neste artigo buscamos responder a essa dúvida comum a fim de ajudá-lo na construção de uma carteira mais eficiente. 

Este artigo foi baseado em uma live realizada em nosso canal (vídeo aqui), por isso, recomendamos que após a leitura você assista ao vídeo na íntegra e acompanhe nosso canal para ter acesso a mais detalhes sobre o tema. Acompanhe a seguir. 

Oscilações do mercado

Existem diversos fatores que podem impactar o mercado financeiro significativamente, causando movimentações de queda no preço de negociação dos ativos. Apesar de ser 100% online, o mercado financeiro está intimamente conectado com os eventos relevantes que acontecem no mundo real, sejam eles, políticos, econômicos, etc. De forma geral, tudo o que pode afetar a sociedade pode gerar impactos positivos ou negativos no mercado. 

Apesar dessas oscilações serem algo inerente ao mercado, em momentos de volatilidade muitos investidores acabam tomando decisões erradas de forma reativa e, como consequência, acabam perdendo dinheiro. Pensando nisso, é muito importante que o investidor conheça as melhores técnicas de proteção, dessa forma, o fator de efeito manada (quando diversos investidores realizam uma mesma ação apenas para seguir o “bando”) é minimizado.

Como montar a proteção da sua carteira 

No mercado financeiro existem 2 tipos de opções, são elas: opções de compra e opções de venda. 

Opções de venda e compra

As opções de compra e venda de ações nada mais são do que a aquisição do direito ou obrigação à venda ou compra de um determinado ativo, por um determinado preço em uma determinada data. Por exemplo, imagine que você comprou uma ação e esta tenha caído bastante nos últimos dias, a fim de proteger-se de uma maior desvalorização futura, é possível comprar também a opção de vendê-la, desta forma, caso queira, é possível realizar a venda do ativo no dia do vencimento. 

Durante a realização da compra da opção de venda do ativo, é possível estipular um percentual de movimentação negativa aceitável para você, ou seja, caso o ativo custe R$21,00 e você queira se proteger de uma queda maior que 10% (neste caso), você pode comprar a opção de vender o ativo po R$18,90. Você poderá exercer esta opção de venda caso o mercado tenha queda maior que 10%(exemplo), contudo, caso o mercado apresente uma movimentação de alta do ativo, é possível não exercer o direito de venda e obter os rendimentos dessa movimentação. 

A opção de compra de um ativo funciona desta mesma forma, entretanto se aplica em casos em que o mercado apresenta oscilação positiva, desta forma, você pode comprar a ação por um preço menor durante a valorização.

É necessário atentar-se que de uma forma ou de outra, caso você não exerça a opção de compra ou seja exercido na opção de venda, as opções viram pó após a data de seu vencimento.

Custo

Essa forma de proteção simples através da compra de uma opção de venda possui alguns problemas que podem impactar negativamente sua operação. Imagine que para realizar a compra da opção de venda de um ativo no valor de R$21,00 você precise pagar R$0,35 por opção, isso representa 1,66% do valor da ação. Esse valor pago para adquirir a opção de compra será embolsado pelo vendedor da opção, por isso, quando falamos em grandes quantidades de ações e opções, os valores gastos para a compra das opções de venda tornam-se significativos.

Liquidez

Em um cenário em que precisamos fazer a proteção de um ativo e não há liquidez nas opções de venda, não adianta montar uma proteção através das compras de PUT, pois sem vendedores e compradores a estratégia não é efetiva.

Como zerar os custos da proteção

Tendo em vista que o custo é um dos problemas da realização da proteção de um ativo através da compra de opções de venda, é possível minimizá-lo com a utilização de estratégias de renda.

Quando você tem uma ação em sua carteira é possível vender o direito de alguém comprá-la por um preço estipulado por você, desta forma, quando o mercado disparar haverá demanda pela compra e sua ação poderá ser vendida. 

Imagine que você compre uma ação por R$21,00 e queira proteger sua queda nos R$18,90. Para isso, deve comprar uma opção de venda por R$0,35 que lhe garantirá o direito de vender a ação com uma queda de no máximo 10% em caso de forte oscilação negativa. 

Para zerar o custo da opção de venda, você pode vender o direito de alguém comprar esta ação por, por exemplo, R$23,10 o que representa um ganho de 10% em cima do valor da compra, nesse sentido, caso o mercado dispare você será obrigado a vender sua ação por R$23,10. Esse direito de compra concedido geralmente tem um custo muito similar ao da PUT, considere neste caso R$0,76. 

Esta operação, apesar de limitar o seu lucro, garante que seu custo com a aquisição da PUT se aproxime de R$0,00 pois com o valor recebido pela venda da opção de compra, maior que da opção de venda, você pode fazer a aquisição da opção de venda. 

Em casos em que o investidor não quer sofrer o efeito colateral de lucro limitado com a utilização dessa estratégia de proteção, é possível recomprar o direito de opção de compra caso sua valorização ultrapasse seu lucro limitado, em nosso exemplo, a recompra da ação acontece caso sua valorização ultrapasse os R$23,10, desta forma, você estaria protegido contra a queda e conseguiria aproveitar a onda de valorização do ativo. Imagine que após a compra da opção de venda e a venda da opção de compra, lhe sobraram R$0,41 em caixa, é com esse capital que você realizará a aquisição da opção de recomprar o ativo. Veja o exemplo abaixo: 

Opção de venda comprada = -R$0,35 

Opção de compra vendida = +R$0,76 

Valor em caixa =  R$0,76 – R$0,35 = +R$0,41

Valor da opção de recomprar o ativo = +R$ 0,41

Custo da proteção = R$0,41 – R$0,41 = R$0,00

 

zerar custos

Proteção com opções BOVA11

Apesar de efetiva, esta estratégia não é escalável, pois em uma carteira com muitos ativos a liquidez das opções pode não ser suficiente para a montagem da estrutura, é nesses casos que podemos utilizar o BOVA11, um ETF, ou seja, fundo de investimento negociado na bolsa de valores que replica o índice IBOV. Nesse sentido, quando acontece uma queda substancial do mercado em geral, o BOVA11 também tende a seguir este movimento. 

Por ser um fundo de índice, quando você trava suas posições com base nele é possível proteger-se de quedas que atingem todo o mercado. Isso é muito vantajoso pois como a queda replica o IBOV você consegue proteger sua carteira em massa através da aquisição das opções de venda e compra BOVA11, que em uma carteira diversificada, tende a ter uma movimentação similar.

Exploramos mais sobre a forma de realizar essa proteção na live realizada em nosso canal da Invius, recomendamos que assista para ver no detalhe todo o processo. 

Para saber mais sobre esse e outros temas continue em nosso site e faça uma visita em nosso canal no Youtube.

Aulas sobre o Mercado de Opções

Como fazer análise dos gráficos para operar opções

Nesta aula gratuita vou te explicar analisar gráficos para operar opções e como funciona o comportamento…

Como multiplicar os dividendos das suas ações

Vou te ensinar como utilizar o mercado de opções para multiplicar os dividendos das suas ações

Como usar estatística para operar opções

Tenha alta taxa de acerto com ganhos expressivos. Nesta aula você vai entender como usar estatística…

Você pode se interessar

B3SA3: Essa ação pode subir 186%

Hoje eu quero trazer para você a análise quantitativa de um ativo que acompanhamos bastante aqui…

Renda Fixa: como utilizar para fazer venda de PUT?

Você sabia que é possível utilizar seus títulos de renda fixa para potencializar os seus ganhos…

Como usar as opções para potencializar sua carteira

Eu trabalho no mercado financeiro há 15 anos já, sendo 12 deles com o mercado de…