Como montar proteção para a sua carteira sem pagar nada

Proteger seu patrimônio é muito importante para conseguir lidar com as oscilações do mercado sem sair – muito – machucado. O mercado de ações é extremamente volátil e em momentos de crise como o que estamos passando agora, a situação piora.

O lado bom é que existem diversos investimentos que garantem uma proteção. Por aqui, vemos uma ótima possibilidade de proteger a carteira de investimentos usando opções de venda.

O problema é que o seguro que é pago nessas opções é muito caro e, por isso, muitas pessoas acabam não montando as estratégias de proteção. 

Porém, ao longo dos anos e com testes em várias estratégias, vi que existe a possibilidade de montarmos uma operação de proteção em opções de venda sem pagar nada por isso.

Há três passos simples para proteger a carteira de tal forma que a gente consiga assegurá-la contra uma movimentação de queda do mercado. 

Confira:

Escolher o tipo de proteção da carteira

Primeiramente, precisamos definir qual o tipo de proteção ideal para seu objetivo. E no vídeo a seguir, vou te explicar como.

Existem dois tipos de proteção com opções: a isolada e a sistêmica.

Proteção isolada 

Na isolada, a ideia é comprar a proteção de um ativo específico da carteira. 

Neste tipo de operação, a proteção é mais “perfeita” e robusta, já que segue a movimentação de cada ativo protegido, pegando um seguro.

A questão é que alguns ativos não têm liquidez nas opções, então não tem como fazer esse tipo de proteção.

Outro ponto é que montar uma proteção para cada ativo da carteira isoladamente demanda muito trabalho.

Proteção sistêmica

Já na sistêmica, a ideia é proteger o portfólio como um todo, usando um único ativo, normalmente o ETF do índice perseguido. 

Para isso, é preciso fazer um cálculo de correlação, que chamamos de beta. 

Explico: se o beta total for 1,5, quando o índice subir 1%, a carteira subirá 1,5%. É importante lembrar que o mesmo ocorre se o índice cair.

Nesta operação, a proteção é menos “perfeita”, mas consegue proteger inclusive ativos sem liquidez.

Fazer o cálculo da proteção da carteira escolhida

Na proteção isolada, a quantidade de ações precisa ser igual à quantidade de opções.

Normalmente, quando entramos na plataforma de negociação, já está mostrando qual o beta da ação. O ponto é: como calcular o beta do conjunto todo para efetuar a proteção sistêmica?

Nesta operação, esse cálculo é um pouco mais trabalhoso. Aqui, vamos trabalhar com um exemplo em que o ativo de ETF utilizado é do índice Ibovespa (BOVA11).

Primeiro, é preciso colocar em uma planilha a variação diária do índice Ibovespa – que pode ser encontrada no site br.investing.com.

O segundo passo é colocar na planilha a variação diária do seu portfólio. 

Em seguida, devemos usar a fórmula “Inclinação” no Excel para calcular o beta total.

Mas não para por aí… Com o beta em mãos, é preciso aplicar a seguinte fórmula: o patrimônio total da sua carteira multiplicado pelo beta, dividido pelo o preço do ETF utilizado (no caso, BOVA11) naquele momento: 

O resultado dessa fórmula vai dar a quantidade que você precisa comprar de BOVA11 para ter a equivalência da sua carteira.

Montar estratégia para financiar o custo

Para fazer uma proteção, precisamos desembolsar um valor significativo, e a melhor maneira para financiar esse custo é utilizando estratégias que te gerem renda passível de ser realocada.

Para pensar em um financiamento, primeiramente precisamos definir o custo que estamos dispostas a gastar na proteção. 

Com isso definido, é possível utilizar diversas estratégias do mercado financeiro para gerar e alocar seu lucro nessas estratégias mais agressivas e direcionais.  Posso fazer isso usando ativos de renda passiva, por exemplo, como o investimento em renda imobiliária; utilizar o lançamento coberto; e outras operações estruturadas com opções.

Em 2018, quando estava buscando meios de financiar as minhas proteções, desenvolvi o método Sistema Diamante, que trabalha com opções para aumentar a sua rentabilidade na Bolsa.

O Sistema Diamante é a soma de diferentes estratégias dentro do universo da renda variável, tendo como foco ações e opções (derivativos de ações).

Na prática, esse sistema te faz gerar renda recorrente com opções e alavancar de maneira segura, multiplicando seu patrimônio com gerenciamento total de risco.

Aulas sobre o Mercado de Opções

Como fazer análise dos gráficos para operar opções

Nesta aula gratuita vou te explicar analisar gráficos para operar opções e como funciona o comportamento…

Como multiplicar os dividendos das suas ações

Vou te ensinar como utilizar o mercado de opções para multiplicar os dividendos das suas ações

Como usar estatística para operar opções

Tenha alta taxa de acerto com ganhos expressivos. Nesta aula você vai entender como usar estatística…

Você pode se interessar

B3SA3: Essa ação pode subir 186%

Hoje eu quero trazer para você a análise quantitativa de um ativo que acompanhamos bastante aqui…

Renda Fixa: como utilizar para fazer venda de PUT?

Você sabia que é possível utilizar seus títulos de renda fixa para potencializar os seus ganhos…

Como usar as opções para potencializar sua carteira

Eu trabalho no mercado financeiro há 15 anos já, sendo 12 deles com o mercado de…