Como analisar ações

Como analisar ações

Não importa o tipo de perfil de investidor que você é – conservador, moderado ou agressivo; se optar por aplicar seus investimentos na Bolsa de Valores é fundamental saber como analisar ações. Esta é uma condição básica para obter bons resultados ao escolher este ativo financeiro, e isso vale para investidores mais experientes ou iniciantes, acostumados ou não com a volatilidade dos papéis.

Entender como funciona este mercado, como analisar ações, estar muito bem informado, ter paciência e reagir bem ao sobe e desce dos preços sem se precipitar são atitudes que não garantem o sucesso de sua aplicação na Bolsa de Valores mas, com toda certeza do mundo, não seguir este caminho é a porta para o insucesso.

Contar com uma boa assessoria de analistas especializados faz toda a diferença também. Por isso, preparamos para você este conteúdo, onde explicamos como analisar ações de uma empresa, como analisar gráficos de ações, como analisar P/L de ações e, ainda, como analisar indicadores de ações. Você sabe, por exemplo, como saber se uma ação está cara ou barata?

A verdade é que não é preciso ter muita experiência para aprender a analisar ações. Leia até o fim este artigo preparado por nossos especialistas em mercado de ações, mantenha-se muito bem informado sobre o assunto e conte conosco para aprender cada vez mais.

O que é uma ação?

A ação é um valor mobiliário, previsto no inciso I, do artigo 2º da Lei 6385/76. Trata-se da menor fração do capital social de uma empresa ou uma sociedade anônima.

Todas companhias ou sociedades anônimas têm seu capital dividido em ações, mas tão somente ações de empresas registradas na Comissão de Valores Imobiliários (CVM) – conhecidas como ações abertas – podem ser negociadas publicamente na Bolsa de Valores.

Trocando em miúdos, se você compra uma ação, passa a ser acionista daquela empresa, ou seja, passa a ser um de seus donos, com direitos e deveres de acordo com a quantidade e o tipo de ações que comprou.

Os tipos de ação

Antes de mais nada, você precisa saber que há dois tipos de ações:

  • Ações ordinárias (ON): são papéis que dão direito a voto nas assembleias da companhia. São ideais para aqueles que investem na empresa com mentalidade de sócio, e estas ações são identificadas com o sufixo 3. Por exemplo: o código de ações ordinárias da Petrobras é PETR3.
  • Ações preferenciais (PN): o acionista não tem direito a voto, mas têm prioridade no recebimento de dividendos ou compensações em caso de declaração de falência. O código deste tipo de ação tem sufixo 4 (no caso o papel ON da Petrobras é identificado como PETR4).

Vale pontuar, ainda, que Units são pacotes de ativos que reúnem ações ordinárias e preferenciais, e isso significa que o investidor compra mais de um tipo de ação em um único ativo. Eles são expressos com o sufixo 11, por exemplo SANB11, que reúne ações ON e PN do Banco Santander.

Já as ações fracionadas reúnem ativos com quantidades menores do padrão usualmente negociado na Bolsa de Valores. O padrão é de cem ações, então as ações fracionadas vão de uma a um lote de 99 ações.

Como analisar ações de uma empresa?

Para investir na Bolsa de Valores, você precisa avaliar o tempo todo as ações que pretende negociar, em busca do melhor resultado. Não há uma fórmula matemática que garanta o seu lucro, mas sim atitudes que fazem a diferença: saber como analisar ações é a primeira delas.

É um erro de iniciante achar que basta ver o preço de compra e venda do papel, e pronto. Definitivamente, uma ação não se restringe a números, embora seja o preço que definirá o lucro ou não do investimento. Na verdade, o desempenho da ação jamais pode ser dissociado do desempenho da empresa, portanto para analisar uma ação é preciso se informar sobre a companhia que a emitiu.

Como saber o preço de uma ação?

O preço e o valor de uma ação são conceitos bem distintos, viu? O preço é o que você paga quando compra o papel. Já o valor é o que a ação pode lhe oferecer. Estes conceitos precisam ficar claros porque o preço sempre terá grande influência em quem opera a curto prazo, enquanto o valor se relaciona mais ao médio e longo prazos da operação.

Mas como saber o preço de uma ação? Ele pode oscilar bastante, pois a volatilidade é a mais marcante característica do mercado de ações, mas o preço é o valor que aparece no home broker, a plataforma na qual você fará a gestão de seus investimentos.

Quando faz o IPO (Initial Public Offering), ao abrir seu capital e ser listada na Bolsa de Valores, a empresa define sua cotação inicial de estreia, a partir da divisão de seu capital social pelo número de papéis disponibilizados. Depois, os preços vão se ajustando de acordo com condições de mercado, negócios da companhia, divulgação de seus lucros e endividamento e pelo próprio interesse dos investidores.

O que é o valor patrimonial de uma ação?

O valor patrimonial de uma empresa é um importante indicador para quem quer analisar ações de uma empresa. Ele indica o resultado do patrimônio líquido da companhia dividido pelo número total de suas ações.

Já o P/VPA relaciona o preço do papel (P) com o valor patrimonial por ação (VPA). Desta forma, é possível descobrir o quanto o mercado se propõe a pagar pelo patrimônio líquido daquela empresa. Um P/VPA alto significa que as ações estão sendo negociadas por um preço acima do patrimônio líquido daquela companhia, enquanto um P/VPA baixo indica o contrário.

Como analisar P/L de ações?

Para quem não sabe, P/L de ações é o Índice Preço/Lucro do papel, um indicador largamente utilizado por investidores e especialistas na hora de comparar os papéis de empresas de um mesmo setor. Quanto menor o P/L, mais barata a ação está e, ao contrário, quanto maior o índice, mais caro ela custa.

É importante notar que este índice leva em consideração o tempo de aplicação, para que haja retorno ao investidor, ou seja, quanto tempo é necessário para que a rentabilidade daquelas ações cubram o valor investido.

Como saber se a ação está cara ou barata?

Para alcançar bons resultados ao aplicar no mercado de ações é absolutamente relevante saber se o papel que você deseja comprar ou vender está caro ou barato, não é verdade? Mas como fazê-lo?

Você já sabe que ao analisar o P/L de ações descobrirá se o papel está caro ou não. Mas há outras formas de avaliar o preço do ativo, como a análise do P/VPA, que você também já conhece, e o chamado return on equity (ROE). É mais um indicador que, neste caso, relaciona a lucratividade da empresa com o seu patrimônio líquido.

Uma boa dica de analistas experientes é comparar, também, o preço da ação que deseja negociar com o valor dos papéis de outras companhias do mesmo ramo de atuação.

O que é análise técnica?

A análise técnica é uma forma de como analisar ações. Ela foca na quantidade de papéis de uma companhia disponíveis para negociação e a quantidade de compradores interessados neles. A relação entre a oferta e a procura logicamente que determina o preço de uma ação, e a análise técnica leva isso em consideração.

Muito utilizada em operações de curto e curtíssimo prazo, a análise técnica apresenta um senão, que precisa ser levado em consideração: fatores externos que influenciam a procura e a oferta de ações mas não são considerados. O bom desempenho de uma empresa, por exemplo, precisa ser levado em conta, e isso é um bom exemplo de fator externo que não está sendo contemplado pela análise técnica.

O que é análise fundamentalista?

Diferente da análise técnica, a análise fundamentalista se baseia em informações relevantes e oficias da companhia de capital aberto, como fluxo de caixa, lucro trimestral, balanço patrimonial e demonstração de resultados. Estas organizações são obrigadas por lei a divulgar tais informações.

É, com certeza, uma análise mais subjetiva, e também considera fatores macroeconômicos, como PIB, taxas de emprego e renda, taxa de juros e informações sobre o mercado nacional e global, que traçam um cenário. A partir destes dados, é possível, por exemplo, identificar uma empresa que está indo muito bem, com excelentes resultados, inserida em um mercado emergente, de grande potencial.

Como analisar um gráfico de uma ação?

Se estamos falando sobre como analisar ações, é preciso falar, também, é claro, sobre como analisar um gráfico de uma ação em busca dos melhores resultados possíveis. Estas análises serão fundamentais para o investidor tomar suas decisões de compra e venda de ações.

São cinco as dicas de como analisar um gráfico de uma ação, tirando proveito disso:

  • Fique de olho na lei da oferta e da demanda porque as expectativas do mercado influenciam demais na oscilação do preço da ação. Atenção para as tendências de alta ou baixa que os gráficos podem indicar.
  • Foco os topos e fundos dos gráficos, que representam justamente as tendências de alta e baixa do papel desejado.
  • Olho vivo, também, nas médias móveis, ou seja, o preço médio do papel em um determinado período.
  • Acompanhe o IFR – Índice de Força Relativa, que aponta sobrecompra ou sobrevenda de um ativo comparando as médias das cotações em períodos de alta e baixa.
  • Saiba reconhecer cenários que os gráficos indicam e as tendências de alta, baixa ou lateral (equilíbrio entre oferta e demanda).

Leia mais: Onde investir 100 reais: descubra os melhores investimentos para começar com pouco dinheiro

Aulas sobre o Mercado de Opções

Como fazer análise dos gráficos para operar opções

Nesta aula gratuita vou te explicar analisar gráficos para operar opções e como funciona o comportamento…

Como multiplicar os dividendos das suas ações

Vou te ensinar como utilizar o mercado de opções para multiplicar os dividendos das suas ações

Como usar estatística para operar opções

Tenha alta taxa de acerto com ganhos expressivos. Nesta aula você vai entender como usar estatística…

Você pode se interessar

B3SA3: Essa ação pode subir 186%

Hoje eu quero trazer para você a análise quantitativa de um ativo que acompanhamos bastante aqui…

Renda Fixa: como utilizar para fazer venda de PUT?

Você sabia que é possível utilizar seus títulos de renda fixa para potencializar os seus ganhos…

Como usar as opções para potencializar sua carteira

Eu trabalho no mercado financeiro há 15 anos já, sendo 12 deles com o mercado de…