Como ele perdeu US$1 milhão com venda de CALL

Eu sempre digo que quando trabalhamos com o mercado de opções, mesmo com estratégias simples como venda de PUT ou venda de CALL, precisamos sempre fazer a análise completa dos ativos.

Inclusive, você pode encontrar diversos materiais nos quais eu mostro como fazer essas análise de indicadores, custo de oportunidade e muito mais.

Porém, hoje quero trazer uma perspectiva diferente, mostrando o que pode acontecer quando você não faz essas análises antes de começar a operar.

Gerando renda com venda de CALL

Na venda de CALL, você recebe uma taxa do mercado em troca da obrigação de ter que vender um ativo que você tem em carteira caso o mercado suba.

Pois bem, um mentorado recentemente compartilhou comigo a sua história com venda de CALL.

Ele começou a operar no mercado americano e comprou um determinado ativo por US$100.

Usando esse ativo, ele começou a fazer sucessivos lançamentos cobertos, recebendo taxa semanal por essas operações.

Depois de um tempo, ele acabou vendendo esse ativo por US$150.

Você deve estar pensando: Ele fez um grande negócio, certo?

Além de receber muita taxa do mercado, ele ainda conseguiu vender o ativo acima do preço que ele pagou.

Mas na verdade, ele fez um péssimo negócio.

O ativo em questão era o NVDA, da Nvidia, que hoje está batendo os US$1200.

Por essa razão que lá no começo, antes de montar qualquer estratégia, uma das análises que fazemos é o de custo de oportunidade, na qual buscamos entender:

  • Essa ação tem potencial de crescimento para os próximos anos?
  • Qual é o seu preço justo?
  • Quanto eu vou perder se eu perder esse ativo em uma venda de CALL?
  • Quanto eu vou ganhar se eu comprar essa ativo em uma venda de PUT?

Porém, isso não quer dizer que você precisa abandonar a venda de CALL.

Isso significa que você precisa montar a operação do jeito certo.

Protegendo a venda de CALL

Existem duas formas de você evitar a perda de um ativo quando faz a venda de CALL.

Vamos utilizar o ativo WFC para exemplificar esses cenários.

O ativo está sendo negociado a US$57,92 e você decide fazer uma venda de CALL com strike de US$60.

Caso o mercado comece a subir, você pode simplesmente encerrar a operação antes de ser exercido.

Assim, você pode até tomar um pequeno prejuízo no Lançamento Coberto, mas garante que o ativo continue na sua carteira, reservado para quando a alta vier.

Uma segunda opção seria fazer a recompra dessa CALL com um valor de strike acima da ponta vendida.

Dessa forma, caso o mercado suba, você tem a obrigação de vender o ativo a US$60, porém tem o direito de recomprar a US$61.

A taxa da operação diminui um pouco (de US$19 para US$11), mas pelo menos você não perde a oportunidade de valorização que esse ativo pode ter.

 

 

 

 

Aulas sobre o Mercado de Opções

Você pode se interessar

Ações nos EUA: Como encontrar as melhores empresas para investir

Estamos entrando no segundo semestre de 2024 e, se tem uma coisa que todo investidor percebeu,…

Como usar a compra de CALL para ter ganhos exponenciais

Nós falamos bastante sobre estratégias como venda de PUT ou venda de CALL para rentabilizar a…

BABA: a ação que está pagando 2,07% por semana na venda de PUT

Um dos ativos que temos trabalhado bastante no mercado americano é o BABA, da empresa Alibaba.…